Logística de Medicamentos

Logística de Medicamentos

A logística farmacêutica começa pelas licenças e adequações corretas de acordo com a legislação vigente da ANVISA e Vigilância sanitária, pois aí começam as diferenças entre os players do mercado. Seguir todas as exigências corretamente e mantê-las vigentes é o primeiro desafio de investimentos em infraestrutura e principalmente em recursos humanos de qualidade.

A partir da fase anterior temos o treinamento e manutenção dos procedimentos operacionais e de qualidade que devem ser seguidos no dia a dia da operação, portanto, há necessidade de recursos humanos capazes em gerir as operações e fazer cumprir as regras específicas da logística de medicamentos.

Os cuidados necessários são vários em função do mercado de atuação, medicamentos, cosméticos, medico/hospitalar, transportes com temperatura controlada e assim por diante. Para cada segmento de mercado as empresas têm que se especializar, ter os equipamentos adequados às suas operações e principalmente investir em sistemas de TI para gerir a operação e permitir que as informações fluam entre os diversos caminhos de logística e as informações estejam disponíveis para os clientes no momento correto e desejado.

A gestão de um armazém logístico é basicamente realizado com suporte de um bom software WMS – Warehouse management system ou Sistema de Gestão de Armazém, o qual irá fazer todo o controle de recebimento, armazenagem e expedição seguindo as regras definidas pelos clientes. Podendo gerir os estoques com FIFO, FEFO, LIFO dentro outras regras que o cliente irá determinar. No mais, o armazém deverá ter o controle de temperatura, que poderá ser monitorado ou controlado, definir áreas de armazenagem corretas para cada tipo de cliente e fazer o melhor desenho operacional para ter produtividade e qualidade. Garantindo assim que o cliente do seu cliente receba os produtos na quantidade e hora correta, com KPIs que possam gerir toda a operação em tempo real e assim tomar as devidas ações e decisões para correção de eventuais desvios operacionais.

Fonte: Marcelo Azevedo – Gerente Nacional de Operações.